VALORES QUE TRANSFERI PARA MINHA GRIFE

Comecei minha grife quase por acaso. Melhor, por conta de um processo – já que não acredito em acaso – um dia contarei essa história.

No primeiro dia da Chara Rial, não sabia até onde ela haveria de chegar, mas sabia exatamente o que ela haveria de ser. Minhas crenças estavam prontas, crenças que começaram na infância e foram se fortalecendo e amplificando rapidamente, de tal sorte que ao fim da adolescência tudo estava consolidado em minha cabeça.

Desenho feito por Lara, no início da adolescência.

Desenho que fiz no fim da infância.

Conta minha família que desde muito pequena nunca me interessei pelas coisas comuns e sempre busquei o diferente. Minhas lembranças próprias remontam os primeiros anos da escola e sei que nas escolhas eu sempre fui diferente, optando por coisas outras da grande maioria dos coleguinhas, mas sem querer chamar atenção… eu simplesmente era um pouco diferente (e até sentia vergonha disso). Mas acho que aí, de alguma forma, eu já manifestava o valor interior que hoje  confiro à originalidade, mesmo sem me orgulhar disso à época.

Imagem: reprodução da internet

Imagem: reprodução da internet. Audrey Hepburn.

Beleza e elegância aprendi lendo, vendo (principalmente vendo) e ouvindo coisas das quais intuitivamente me aproximei. Cedo comecei a pintar e a devorar tudo que de arte me chegava às mãos e, aos poucos, meu gosto foi se formando. Apaixonei-me por cinema, fiz até curso de graduação em direção cinematográfica, descobri (antes mesmo da graduação) Bergman e Godard como figuras geniais – as quais, confesso, admiro e amo profundamente – e me encantei pela elegância e feminilidade real de Audrey Hepburn, sem firulas, sem frescuras, uma elegância pura, luminar e genuína.

Na pintura, tenho admiração especial por Van Gogh, toda sua intensidade e seu amarelo ora doente, ora solar. Além de Egon Schiele, com suas pinturas quase que desconcertantes de figuras contorcidas e olhares inigmáticos, que me deslocam do eixo. Na música, dentre as muitas coisas que ouço, valorizo a verdade de Edith Piaf e a força avassaladora do rock.

Imagem: reprodução da internet. Obra de arte de Egon Schiele

Imagem: reprodução da internet. Obra de arte de Egon Schiele.

Sendo de família de classe média, não podia ter muitas peças de qualidade, mas nunca a dispensei preferindo ter poucas e fazer muitas combinações para me vestir. Como tudo que tem qualidade é durável, acabei trilhando o caminho da atemporalidade para não ser demodê e também porque me apego ao que gosto e quero usar, usar muito, usar sempre.

Por fim, o conforto. Nunca vi sentido na possibilidade de ter que sofrer em nome da elegância. Não é elegante fazer ou admitir sofrer, é desrespeitoso. Jamais conseguiria transmitir beleza  com alguma parte do corpo em desconforto.

Com essas poucas experiências e esses muitos experimentos de vida, princípios e valores, venho costurando minha grife e construindo seu caráter. Até aqui, essa sou eu, essa é a Chara Rial.

NOSSO BLOG VOLTOU PARA FICAR

Logo no início da grife coloquei um blog no ar. Mas fui traída pelos grandes desafios que precisei enfrentar para construir essa nossa empresa. Um ano depois imaginei uma retomada e contratei uma equipe de produção e dessa vez desisti com mais rapidez. Não era eu, não era minha visão, minha percepção, minha sensibilidade, não era minha grife.

O tempo passou, a Chara Rial cresceu, tudo aos poucos entrou em seu lugar, começamos a navegar em velocidade cruzeiro, mas a comunicação ficou pequena: Facebook, Instagram, e-mails, tudo limitado para satisfazer meu desejo de conversar com minhas clientes, desde as primeiras, as antigas e fiéis, até as novas que espero que fiquem para sempre.

Sinto necessidade de estreitar relações, de contar minha história, minhas dificuldades, minhas conquistas, meus sonhos, porque afinal tudo que vem sendo construído é inspirado por todas as mulheres que se identificam com nossa grife.

Hoje volto com esse meu Blog para nunca mais parar. Terei ajuda, mas estarei sempre presente com meus posts e definindo a linha editorial de meus colaboradores. Nosso Blog não será uma tela de nossos produtos, mas uma janela por onde você conhecerá nossas crenças e tudo que está por trás de nossas produções. E como a vida não é feita só de moda, vamos tratar de muitos outros assuntos cuidadosamente escolhidos: desde o empoderamento feminino até política e economia.

Espero encontrar aqui as centenas de milhares de fãs e clientes que conquistamos em apenas quatro anos de vida. Esse espaço é todo de vocês e estou certa de que contarei com o prestígio de muitas seguidoras e terei oportunidade de grandes conversas através da página de contato.

Que bom poder recomeçar, agora melhor e diferente, segura de que voltamos para ficar.

Lara.